dokdo

Dados Audiovisuais

Dokdo, Beautiful Island of Korea

Jurisdição do Império da Coreia sobre Dokdo

home > Dados Audiovisuais > Dokdo foi o primeiro território coreano a ser vítima da agressão japonesa > Jurisdição do Império da Coreia sobre Dokdo

print facebook twitter Pin it Post to Tumblr
  • 1
  • 2
  • 3

Daehan-Shinjiji

Daehan-Shinjiji (Jang Ji-yeon,1907) (Capítulo 6 Província de Gyeongsangbuk, Volume 2)

〔Tradução〕

Uldo (latitude norte de 37°34’ a 37°31’ e longitude leste de 130°45’ a 130°35’) é a antiga ilha de Ulleungdo, situada a aproximadamente 300 li (118 km) a leste de Uljin. É também chamada de Ureung ou de Mureung. Três montanhas parecem tocar o céu, e em dias limpos, até as árvores nos cumes e a areia ao pé das montanhas podem ser vistas. A área se estende por aproximadamente 500 li (196 km) em todas as direções. Havia ali um antigo reino, o qual Isabu, um general do Reino de Silla, durante a época do Rei Jijeung, conquistou usando estátuas de leão feitas de madeira que amedrontaram os ilhéus, conseguindo sua rendição. Os moradores da ilha nunca haviam deixado de pagar tributos desde a época da dinastia de Goryeo; porém, devido a frequentes invasões dos jurchens, acabou por tornar-se desabitada. Houve tentativas de se estabelecer uma prefeitura lá desde a época do Rei Uijong de Goryeo, mas todas foram frustradas por grandes tempestades. Durante seu reinado, o Rei Taejong de Joseon, ordenou a Kim In-u, enviado real, que trouxesse de volta pessoas que haviam fugido para lá. No 20º ano do Rei Sejong, Nam Ho, um oficial militar, foi enviado para trazer aproximadamente 70 pessoas que haviam fugido para lá, incluindo Kim Hwan, deixando a ilha vazia. No 7º ano do Príncipe Gwanghae (1615), dois navios japoneses aportaram na ilha e a corte real enviou um documento oficial para que fossem repatriados. Quando o Daimyo de Tsushima, Yoshinobu Taira, repatriou dois náufragos, os inquéritos eram muito vagos necessitando de frequentes trocas de documentos, o que acabou no incidente de An Yong-bok. No entanto, o caso foi resolvido como deveria. O ocorrido será tratado separadamente. Essa ilha produz ervas medicinais como Bupleurum falcatum, Rhododendron schlippenbachii, Angelica tenuissima. O solo é tão fértil que os bambus dali parecem mastros de bandeira, ratos são do tamanho de gatos e os caroços de pêssego são maiores do que tigelas. Leões marinhos são encontrados na ilha. As árvores de freixo (Fraxinus rhynchophylla) e bétula (Betula schmidtii) que crescem na ilha são bastante sólidas, apropriadas para a fabricação de navios. Além disso, a flora é muito rica. A produção de soja é de 500 a 600 sacas (de 180 litros) por ano e, no outono, os moradores caçam perdizes-das-montanhas (Oreortyx pictus) para consumir a carne e usar a gordura para acender lampiões. Alimentos como alga vermelha (Gelidium amansii LAMOUROUX) e baga silvestre (Vitis coignetiae) são exportados por serem de alta qualidade e sabor. Há também uma nascente de água, cujo sabor é um tanto azedo, muito usada por seus efeitos medicinais. A sudeste da ilha se encontra a ilha de Usando (Dokdo).

* Daehan-Shinjiji, livro didático sobre geografia escrito por Jang Ji-yeon; o texto acima se encontra no capítulo 6, Província de Gyeongsangbuk, Volume 2.

〔Texto original〕

Original Text