dokdo

Dados Audiovisuais

Dokdo, Beautiful Island of Korea

Jurisdição sobre Dokdo após a Libertação Nacional

home > Dados Audiovisuais > Dokdo foi o primeiro território coreano a ser vítima da agressão japonesa > Jurisdição sobre Dokdo após a Libertação Nacional

print facebook twitter Pin it Post to Tumblr

Hanseong Ilbo

“Relatório da Expedição Científica (1) por Hong Jong-in”, Hanseong Ilbo (21 de setembro de 1947)

〔Tradução〕

“Relatório da Expedição Científica (1) por Hong Jong-in”
A Missão da Equipe de Expedição

Com um novo reconhecimento científico do território nacional e sua disseminação, pretendemos incentivar o desenvolvimento do pensamento crítico e a propagação da história nacional além de ser uma das tarefas fundamentais imediatas da educação e campanhas culturais. A criação e o desenvolvimento de uma nação têm por base seu território e seu povo. Estamos atualmente em uma fase histórica de reconstrução de nossa nação buscando um meio para inspirar e praticar XXX patriotismo; um colossal pré-requisito para isso será o esclarecimento científico dos fatores de desenvolvimento da vida do nosso povo, efetuando um profundo reconhecimento sobre nosso território, o qual é a origem e o ambiente da vida dos coreanos.
Ao retratar o montanhismo como um esporte em sua campanha, o Clube Alpino Coreano foca-se em sua capacidade de organização disciplinada de cada expedição, em aprimorar suas habilidades de montanhismo científico e em desenvolver força mental. O clube escolhe áreas remotas e de difícil acesso no país para seus projetos regulares de montanhismo de verão e inverno. Essas ações envolvem a organização de uma equipe de pesquisa científica abrangendo diferentes setores das ciências humanas e naturais e a verificação de práticas XXX de pesquisa e estudo. O clube visa compreender cientificamente o território nacional, a fim de inspirar o amor a nossa terra, e, ainda, de obter resultados práticos.
Como o projeto de verão em 1947, posterior a um evento de pesquisa científica da cadeia de montanhas de Sobaek, o clube decidiu organizar e enviar uma expedição sem precedentes para Ulleungdo. Tal ação foi motivada por Ulleungdo ser uma ilha isolada no Mar do Leste e pelo conhecimento já limitado da região ter sido deteriorado ainda mais com a dificuldade de acesso, especialmente desde Ulleungdo tornar-se um ponto estratégico militar por mais de 10 anos durante a guerra contra os invasores japoneses. Ulleungdo não deve continuar a ser uma ilha isolada em alto-mar, fora de nossos mapas e além do interesse do nosso povo. Com esse pensamento, o plano, formulado pela primeira vez no outono do ano passado, finalmente chegou a sua realização.
Com preocupações de que o XXX viesse a ser questionado, a visita a Dokdo, uma ilha desabitada a cerca de 48 milhas náuticas a sudeste de Ulleungdo, não foi anunciada até sua execução. Na verdade, a visita surpresa já fazia parte dos planos da expedição desde o princípio.

<A Organização da Equipe de Expedição>
A equipe era basicamente composta por dois grupos. A Unidade Principal supervisionava todas as atividades e era constituída por 15 membros, incluindo o capitão, os responsáveis pela supervisão, XXX, provisões e equipamentos, e transporte. Alguns deles também faziam parte de outras unidades dentre as 8 existentes de pesquisa científica: Unidade A de Ciências Sociais (história, geografia, economia, ciências sociais, arqueologia, folclore, e língua com 10 membros); Unidade B de Ciências Sociais (pesquisa de status econômico com 11 membros também pertencentes à Unidade Principal); Unidade de Fauna (com 6 membros); Unidade de Flora (com 9 membros); Unidade de Agricultura e Silvicultura (com 4 membros); Unidade de Geologia e Mineralogia (com 2 membros); Unidade Médica (com 8 membros); Unidade de Reportagem (fotografia e rádio, com 8 membros). As 8 equipes, no total, contavam com um impressionante número de 63 membros. A contagem final, na verdade, deve incluir 4 investigadores do Governo Provisório da Coreia do Sul além de outros funcionários do Governo Provincial de Gyeongsangbuk e da 5 Esquadra, alcançando o número de pessoas envolvidas na expedição cerca de 80 integrantes. A expedição pode orgulhar-se de seu recrutamento de autoridade de todas as áreas relevantes, uma façanha difícil de se igualar, tanto em nível nacional quanto internacional.
Os participantes são oriundos de diversas instituições e universidades. Dois deles são da Faculdade de Artes e Ciências da Universidade Nacional de Seul (SNU); um da Faculdade de Comércio da SNU; dois da Faculdade de Agricultura da Universidade de Suwon; um da Faculdade de Educação da Universidade de Daegu; dois de uma faculdade de farmácia; seis da Faculdade de Medicina da SNU; um de uma faculdade feminina de medicina; um da Estação de Pesquisa Agrícola de Suwon; três do Museu Nacional de Ciências; um do Museu Nacional; um do Museu Nacional de Folclore; dois do Instituto de Geociência e Recursos Minerais da Coreia; um do Centro Nacional de Pesquisas de Quarentena; e um ao Centro de Pesquisas Bacteriológicas da Província de Gyeonggi. A expedição contou também com 11 professores do ensino médio, um técnico de rádio do Ministério das Comunicações, e um eletricista do [Ministério do Comércio]. Cada unidade deveria cooperar e encorajar uns aos outros sob a autoridade do seu responsável, e toda a equipe deveria sempre trabalhar sistematicamente sob o espírito de trabalho em equipe com o objetivo de alcançar resultados abrangentes em todas as unidades. Este não era apenas um ideal perseguido XXX na organização da equipe, mas plenamente exercido em todas as atividades da expedição.

〔Texto Original〕

Original Text